ROTA 6

De Bad Homburg a Regensburg

Nossa sexta rota de patrimônios mundiais nos leva ao sul da Alemanha: em Bad Homburg, nos deparamos com a mais extensa construção romana. Seguindo até Messel, veremos um dos mais ricos sítios fossilíferos do mundo. Por fim, Regensburg, a maior cidade medieval da Alemanha.

O ponto de partida da nossa viagem é Bad Homburg, no estado de Hessen. Há cerca de 1900 anos, os romanos estabeleceram-se aqui e erigiram a mais extensa construção de sua história: o Limes alto-germânico e rético. Com 550 quilômetros de extensão, o antigo complexo fronteiriço e suas fortalezas são uma obra-prima da engenharia e por isso receberam o título de patrimônio mundial em 2005. O Limes estabelecia a fronteira entre o Império Romano, altamente desenvolvido, e as "bárbaras" tribos germânicas. Numerosas ruínas foram encontradas durante escavações arqueológicas no século 19. Hoje é possível visitar uma das mais bem protegidas fortificações romanas ao longo do Limes: o castro de Saalburg, perto de Bad Homburg. Detalhe especial: essa é a única fortificação deste tipo que foi reconstruída, incluindo a vila e o local de banhos.

Em Messel, você pode descobrir como era o mundo na pré-história. O sítio de fósseis de Messel é remanescente de um lago vulcânico de aproximadamente 47 milhões de anos. Antigamente rodeado por florestas tropicais, o sítio fossilífero de Messel é hoje uma espetacular jazida de fósseis de animais e plantas pré-históricos do período Eoceno. Cerca de 30 mil exemplares já foram descobertos pelos cientistas. Entre eles, ossadas de 40 espécies de mamíferos. Praticamente, não existe no mundo inteiro um sítio fóssil tão rico! Com as descobertas sensacionais de morcegos, crocodilos e cavalos pré-históricos, o sítio fossilífero de Messel foi o primeiro patrimônio natural da Alemanha a entrar para a lista dos patrimônios mundiais da Unesco, em 1995.

Seguindo em direção ao leste, encontraremos a Residência de Würzburg e seus jardins internos. A residência dos príncipes-bispos de Würzburg foi construída entre 1720 e 1744. O jovem e brilhante arquiteto da corte Balthasar Neumann esteve à frente do ambicioso projeto de construção. Junto com os melhores arquitetos, escultores, estucadores e pintores de sua época, ele criou um extraordinário palácio barroco. A gigantesca pintura no teto sobre a escadaria e os afrescos nas paredes do salão imperial da Residência são, incontestavelmente, obras-primas do pintor veneziano Giovanni Battista Tiepolo. A Residência de Würzburg e os jardins internos foram declarados patrimônio mundial da humanidade em 1981.

Nossa próxima parada é a cidade de Bamberg, que fica 100 quilômetros ao leste. No ano de 1007, Henrique 2º, imperador do Sacro Império Romano, fez da cidade a sede do seu império. Bamberg deveria tornar-se tão grande e significativa como Roma. O resultado, no entanto, foi uma extraordinária cidade modelo do início da Idade Média, que não imita a estrutura de Roma, mas se desenvolveu a partir de uma planta própria. As quatro igrejas do centro histórico foram construídas nas extremidades de uma imaginária cruz cristã e, no ponto central de interseção, está localizada a Catedral. Em seu interior, encontra-se o monumento mais famoso da cidade: o Cavaleiro de Bamberg. O cavaleiro de pedra sobre seu cavalo foi esculpido no século 13 para honrar o imperador Henrique 2º e sua esposa, Cunigunda, que estão sepultados na Catedral. O centro histórico de Bamberg foi declarado patrimônio mundial em 1993. Também estão incluídas no conjunto a prefeitura e a antiga residência episcopal.

A 70 quilômetros de Bamberg fica a Ópera Margrave de Bayreuth, patrimônio mundial desde 30 de junho de 2012. Ela foi construída em apenas quatro anos e inaugurada em 1750. A Ópera de Bayreuth é um dos poucos teatros do século 18 ainda preservados na Europa. Seu interior é considerado único, exibindo exuberantes ornamentos em estuque, belíssimos telões pintados para palcos e balcões entalhados em estilo barroco!

Em direção ao sudeste, fica o último destino da nossa rota: o centro histórico de Regensburg com o bairro Stadtamhof, considerados patrimônio mundial desde 2006. O centro histórico está ligado ao bairro de Stadtamhof através da Ponte de Pedra. O conjunto reúne quase mil monumentos da Idade Média. Faz parte também do conjunto a Catedral de São Pedro, construída no estilo das catedrais francesas. Igualmente imponentes são as torres medievais, utilizadas pela pequena e média nobreza como residências e para o comércio. Com mais de 1.800 anos, Regensburg é a grande cidade medieval mais bem preservada da Alemanha.