Oito perguntas a…

Angelika Braun, guia e museóloga do monastério de Maulbronn

Estou visitando Maulbronn: o que não posso deixar de ver?

Com certeza toda a área do monastério, que abrange o local das plantações e a clausura monástica. Só assim se pode entender por que este monastério medieval é tido como o mais completo e conservado da Europa.

Do que você mais gosta aqui?

A clausura monástica é incontestavelmente o meu local favorito. Gosto especialmente dos diferentes estilos arquitetônicos que vão desde o românico até o gótico. A capela do chafariz e o impressionante salão de refeição dos monges, assim como o Parlatório, com sua maravilhosa abóbada de arquitetura em teia no estilo gótico tardio, são instalações imponentes.

Você tem alguma dica especial?

Uma visita guiada especial reserva muitas surpresas e perspectivas especiais sobre a história e constituição do monastério de Maulbronn.

O que mais a impressionou na sua primeira visita?

Em minha primeira visita, fiquei impressionada com o tamanho deste lugar e com a maravilhosa arquitetura.

Qual é a época do ano mais bonita?

Na primavera, as maravilhosas magnólias no jardim do claustro. No verão, o frescor nas salas do monastério e os belos locais no seu pátio. No outono, a neblina e o cinza realçam e sublinham a marca ascética da arquitetura cisterciense. E, no inverno, a calmaria toma conta, pois existem poucos turistas e pode-se aproveitar totalmente sozinho o sossego do claustro.

O que mais devo visitar aqui?

Digna de ser vista são as redondezas do monastério, esculpidas há mais de 850 anos pelos monges cistercienses. A essa paisagem, que pode ser percorrida por caminhos circulares, pertencem o vinhedo e os sistemas de fossas e lagos nos bosques vizinhos. Um dos lagos é o Tiefen See, que foi feito pelos monges e hoje serve como área de lazer nos meses de verão.

Visitar patrimônios dá fome. Que especialidade regional não posso deixar de experimentar?

Você não pode deixar de provar a especialidade "Maultaschen", da região da Suábia. São pequenas bolsas de massa, geralmente recheadas com carne e espinafre. A lenda diz que essa especialidade foi feita pela primeira vez por um monge do monastério.

E qual patrimônio da humanidade você gostaria de visitar?

Gostaria de visitar as palafitas pré-históricas aos pés dos Alpes e o Parque de Muskau, em Bad Muskau. Além desses lugares, eu gostaria de visitar pelo menos uma vez o Taj Mahal na Índia.

Angelika Braun

trabalha há 22 anos como guia no monastério de Maulbronn.

Hoje, ela cuida, entre outras coisas, da oficina-museu do monastério, uma iniciativa que pretende mostrar para crianças e adolescentes, de forma lúdica, a vida no monastério.

 

Trier

78 km

Völklingen

158 km

Lorsch

51 km

Speyer

66 km

Maulbronn