Oito perguntas a…

Petra Wesch, colaboradora da Fundação de Castelos e Jardins Prussianos de Berlim-Brandemburgo.

Estou visitando Potsdam e Berlim: o que não posso deixar de ver?

Certamente o vinhedo de Frederico, o Grande, junto ao Sanssouci. Mas se você não gosta tanto de atrações turísticas, não muito distante fica o Castelo Charlottenhof e os banhos romanos.

Do que você mais gosta aqui?

Os jardins de Sanssouci são diferentes dos jardins com caminhos geométricos, árvores podadas e cercas vivas rigorosamente cortadas que normalmente encontramos em jardins reais. Aqui, os caminhos, prados e grupos de árvores parecem criados por acaso e você se sente em uma pintura. Até o Castelo Charlottenhof é diferente dos castelos que costumamos ver, pois parece muito mais uma morada de um cidadão abastado que construiu sua casa com bom gosto e extravagância.

Você tem alguma dica especial?

Se eu contar, ele deixa de ser especial. É o jardim de rosas no Castelo Charlottenhof. Mas não digo mais nada!

O que mais a impressionou na sua primeira visita?

A perfeita conexão entre organização e paisagem natural. Aqui, a água representa um elemento decisivo, por isso o melhor jeito de vivenciar esta paisagem cultural é de barco. Outra dica: utilize os taxis aquáticos.

Qual é a época do ano mais bonita?

É sempre encantador estar aqui. Eu acredito que esta resposta depende do tipo de pessoa que vem visitar a cidade. Eu, por exemplo, amo contemplar a paisagem caminhando nas margens do rio Havel em um dia frio de inverno.

O que mais devo visitar aqui?

Vale a pena conhecer Potsdam a pé. Isto não quer dizer apenas andar de cima para baixo a rua Brandenburgerstrasse, no centro histórico da cidade, mas aventurar-se pelas travessas e pátios para ter uma ideia dos quintais do segundo período barroco na cidade.

Visitar patrimônios dá fome. Que especialidade regional não posso deixar de experimentar?

Na primavera, os aspargos da região são espetaculares.

E qual patrimônio da humanidade você gostaria de visitar?

A Grande Muralha da China. Eu adoraria andar por esta gigantesca obra, talvez do nascer do sol ao pôr do sol.

Petra Wesch

nasceu em Eckartsberga na Saxônia-Anhalt.

A pedagoga trabalhou mais de 20 anos na formação cultural de crianças e adolescentes em Potsdam, e desde 1983 nos palácios e parques da cidade. Wesch é responsável pelo planejamento e concepção das visitas guiadas e dos eventos no antigo jardim de Frederico, o Grande.