Oito perguntas a…

Barbara Schock-Werner, arquiteta, até 2012 responsável pela manutenção da catedral

Estou visitando o Patrimônio Mundial Catedral de Colônia: o que não devo deixar de fazer?

Assistir a uma missa e visitar as escavações arqueológicas debaixo da catedral.

Do que você mais gosta aqui?

Do fantástico interior desse templo.

Você tem alguma dica especial?

Não deixe de visitar a Câmara do Tesouro, que ainda é considerado um dos museus sacros mais lindos da Alemanha.

O que mais a impressionou na sua primeira visita?

A grandiosidade dessa construção.

Qual é a época do ano mais bonita?

É linda a luminosidade dentro da catedral quando o sol brilha no inverno, mas também no verão o interior da catedral é impressionante, ou de manhã por volta das 6h30, quando aparecem os primeiros raios de sol.

O que mais devo visitar aqui?

Algumas das igrejas românicas de Colônia, principalmente a de São Gereão.

Visitar patrimônios dá fome. Que especialidade regional não posso deixar de experimentar?

O assado "Sauerbraten" ou " Himmel und Erde" (céu e terra), um prato com batata e maçã.

E qual patrimônio da humanidade você gostaria de visitar?

A ilha de Reichenau.

Barbara Schock-Werner

cresceu nos arredores de Stuttgart.

Estudou arquitetura, especializando-se posteriormente em conservação de monumentos. Paralelo ao trabalho como arquiteta, estudou história e história da arte. Lecionou história da arquitetura, arte e design em diversas escolas superiores, ocupando mais tarde uma cátedra na Universidade de Erlangen. Entre 1999 e 2012 foi chefe das oficinas de restauração e conservação da catedral, sendo responsável por todos os trabalhos relacionados à conservação do Patrimônio Mundial Catedral de Colônia.

 

Bingen

65 km

Koblenz

97 km

Brühl

20 km

Colônia

71 km

Aachen

128 km

Essen