Oito perguntas a…

Karl Heinz Krome, guia de canoagem e dono de hotel

Ao visitar a Abadia de Corvey, o que não posso deixar de ver?

Acredito que a Westwerk seja imperdível. Essas paredes têm mais de 1200 anos e já testemunharam muita história.

Do que o senhor mais gosta aqui?

As construções irradiam uma sensação de infinidade e robustez para mim. Pessoas viviam e trabalhavam aqui já na Idade Média. Também coisas terríveis como morte, destruição e reconstrução fazem parte de Corvey. Mas, apesar de todo o passado, ainda há vida nessas construções. O duque de Ratibor reside no castelo, o museu recebes multidões de visitantes e aqui eu tenho meu hotel.

O senhor tem alguma dica especial?

Vir à noite, quando os visitantes já foram embora. É quando dá para absorver a tranquilidade do lugar, sentar-se próximo do rio Weser e dar liberdade aos pensamentos.

O que mais a impressionou na sua primeira visita?

O tamanho das construções foi o que mais me impressionou na primeira visita à Abadia de Corvey.

Qual é a melhor forma de conhecer o lugar?

O verão é a mais bela estação para conhecer o mosteiro. Vários visitantes e ciclistas passam por aqui. Há concertos de música e exposições no castelo. E quem percorre o Caminho de Santiago de Compostela de abril até novembro recebe um carimbo no passaporte de peregrino na igreja da abadia.

O que mais deve ser visitado aqui?

Nossa região é marcada pela paisagem do rio Weser e por colinas arborizadas. É um bom lugar para descansar e relaxar. Vale a pena fazer um passeio de bicicleta ao longo do Weser, que acaba sempre levando o turista para vilarejos idílicos e cidades antigas.

As visitas aos patrimônios dão fome. Qual especialidade regional deve ser experimentada sem falta?

A comida típica da região é pesada e simples, e geralmente acompanhada por cerveja. Aqui no leste da Vestfália, é produzido um tipo de cerveja chamado Detmolder. Um prato doce regional é o "Lippischer Pickert" — um bolo fermentado que pode ser servido doce, com cobertura de geleia, ou salgado, com patê de fígado.

Que outro Patrimônio da Humanidade você gostaria de visitar?

A mina de carvão Zeche Zollverein, em Essen, me interessa. Já visitei muitos outros patrimônios da humanidade.

Karl Heinz Krome

nasceu na Renânia do Norte-Vestfália. Ele dirige um hotel situado nas proximidades da Abadia de Corvey.

Antes de inaugurar o hotel na abadia, Karl Heinz Krome coordenou uma oficina para pessoas com deficiências por mais de 20 anos na cidade de Detmold. Carpinteiro de formação e também guia de canoagem, Karl acabou fundando — paralelamente ao seu trabalho — uma empresa de canoagem. Foi essa a razão da mundança para Corvey em 2004. Nas proximidades do castelo, ele remodelou o antigo estábulo e o transformou no hotel que está hoje sob sua direção. Sua especialidade: passeios guiados de canoa pelo rio Weser.