Oito perguntas a…

Karl Schünemann, encarregado da Unesco na fábrica da Fagus em Alfeld

Estou visitando a fábrica da Fagus: o que não posso deixar de ver?

O que mais me impressiona é a arquitetura da fábrica, projetada por Walter Gropius há mais de 100 anos e em funcionamento até hoje. Também a exibição Fagus-Gropius sobre a história e a arquitetura da fábrica fica no meio do ainda funcional átrio fabril. Por isso, a Fagus é um patrimônio muito vivo.

Do que o senhor mais gosta aqui?

Até hoje acho única a arquitetura que une aço e vidro, inundando a fábrica de luz. Mesmo quando eu ainda era aprendiz, há mais de 50 anos, me impressionava com a luz nas áreas de produção e meu entusiasmo pela arquitetura da fábrica não diminuiu desde então.

O senhor tem alguma dica especial?

Qualquer um que visite a fábrica deveria espiar pelo menos uma vez pelo vidro frontal do prédio principal e ver como são produzidos artesanalmente diferentes moldes para sapatos – assim como se fazia há 100 anos.

O que mais a impressionou na sua primeira visita?

A arquitetura simples, despretensiosa e funcional.

Qual a melhor forma de conhecer este lugar?

Primeiramente, você deve caminhar pela área da fábrica, para ter uma compreensão do todo. O passeio dura 10 minutos e vale cada segundo.

O que mais deve ser visitado aqui?

Minha terra natal, a região de Leinebergland, que fica nos arredores de Alfeld. Quem tiver tempo, vai ver como é linda a paisagem da cadeia de montanhas.

As visitas aos patrimônios dão fome. Qual especialidade regional deve ser experimentada sem falta?

No outono e no inverno, em Alfeld e nos arredores, pode-se experimentar couve verde com a linguiça levemente defumada Bregenwurst, uma especialidade regional.

Que outro Patrimônio da Humanidade você gostaria de visitar?

O centro histórico de Cracóvia na Polônia, que é Patrimônio da Humanidade desde 1978.

Karl Schünemann

é mestre em moldes para a indústria calçadista e está há quase cinco décadas na fábrica de sapatos da Fagus em Alfeld.

Ele parou de trabalhar na produção em 2009, quando assumiu o cargo de encarregado da Unesco na supervisão da mostra permanente sobre a fábrica. Schünemann nasceu e cresceu em uma região próxima a Alfeld.