Oito perguntas a…

Hans-Ulrich Rösner, diretor da seção Mar de Baixio da WWF

Estou visitando o Mar de Baixio: o que não posso deixar de fazer?

Uma caminhada pelo baixio, ou seja, andar por onde é mar quando a maré está cheia. Nas ilhas e ao longo da costa do Mar do Norte existem muitos guias que podem mostrar esta maravilha da natureza. O baixio é também um patrimônio natural mundial, o que significa uma paisagem natural enorme, de mais de 11 mil km2. Há muito a ser visto. Para mim, o Mar de Baixio é um mundo muito interessante.

Do que você mais gosta aqui?

A imensidão e o sentimento de estar de fato conectado com a natureza. Para mim, esta é uma experiência única, que hoje na Europa só existe na área protegida de um Parque Nacional. Além disso, 10 milhões de pássaros vêm todos os anos descansar aqui no Mar de Baixio. A maioria deles choca seus ovos no Ártico e também na Sibéria e Groenlândia. É bem impressionante pensar na viagem que esses animais fazem.

Você tem alguma dica especial?

Em cinco das sete Ilhas Frísias do Mar de Baixio na Baixa Saxônia não circulam automóveis. Onde mais se pode ver isso? É uma sensação muito boa deixar para trás, pelo menos nas férias, esse progresso da civilização. Espero que no futuro mais ilhas sigam essa ideia.

O que mais o impressionou na sua primeira visita?

Vim aqui pela primeira vez quando ainda era criança e comecei a colher conchas e a pegar caranguejos. Hoje ainda guardo recordação desse tempo.

Como posso conhecer melhor este lugar?

Para mim, é a primavera, quando tudo começar a crescer. Dá para ver ainda mais pássaros, tanto os que voam para o Ártico, quanto os nativos. Mas quem gosta de calor preferirá o verão. Obviamente existem mais turistas nesta época.

O que mais devo visitar aqui?

Existem lugares com sensacionais registros da história da arquitetura. As ilhas Halligen em Schleswig-Holstein são únicas. Elas ficam bem no meio do Mar de Baixio. Quando ocorrem tempestades é que elas mostram a sua peculiaridade. As ilhas ficam praticamente submersas e só as elevações, chamados de Warfen, onde moram as pessoas, são poupadas pela água.

Visitar patrimônios dá fome. Que especialidade regional não posso deixar de experimentar?

Neste patrimônio da humanidade devemos deixar a natureza trabalhar livremente e não comer nada daqui. No entanto, na região que circunda o Mar de Baixio, existem muitos pratos recomendados, como a carne do gado que pasta livre na região ou o queijo orgânico do Backensholzer Hof, perto de Husum, em Schleswig-Holstein.

E qual patrimônio da humanidade você gostaria de visitar?

De preferência o Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, fundado em 1872. Ele foi, e com razão, o primeiro parque nacional do mundo.

Hans-Ulrich Rösner

é diretor da seção Mar de Baixio da WWF, ONG de proteção à natureza, em Husum.

Há muitos anos, o ornitólogo está engajado em projetos na região, como a pesca sustentável no Parque Nacional Mar de Baixio e a redução da extração de petróleo na área.